geografia

Centro de Guarulhos

A marcação de locais de significância ou referência para o homem não é algo hodierno, já que não são poucos os vestígios materiais e imateriais deste hábito em diversas culturas.

Como prova desta prática, existem os exemplos das pré-históricas – pinturas rupestres feitas pelo homem em cavernas, os empilhamentos e esculpimentos em pedras feito pelas civilizações indígenas para demarcarem lugares sagrados, até chegarmos às técnicas utilizadas no mundo contemporâneo na intenção de demarcar um local.

É possível ainda encontrar referências escritas em diversos livros, entre eles a Bíblia que conta o êxodo do povo hebreu e que, em várias vezes cita pedras sendo erigidas para memória de acontecimentos.

marco zero, guarulhos, centro de guarulhos, símbolo, geografia, calçadão

Marco Zero entre os bancos. Acervo: AAPAH/Bruno Leite de Carvalho.

Além do valor da memória, as marcações também assumem o papel de informar e referenciar geograficamente pontos. De acordo com relatos da história, a engenharia romana teve grande influência para a criação das estradas, que em primeiro momento não tinha a intenção de uso para transporte, mas sim para fluidez da comunicação. Por este advento, Roma é considerada um dos exemplos mais expressivos de marco zero, já que ocupava a figura de medição entre as cidades circunvizinhas e popularizou o seguinte jargão por esta representatividade: “Todos os caminhos levam a Roma”.

Mas afinal de contas, o que é marco zero?

Podemos definir que marco zero é a tentativa de uma centralidade material da cidade, identificando em sua maioria o local de fundação da mesma e representando o centro geográfico, tornando-se ponto inicial da numeração das vias públicas e rodovias, além da medição de distâncias das adjacentes e cidades circunvizinhas.

Em Guarulhos, o marco zero está em frente a Catedral Nossa Senhora da Conceição, conhecida popularmente como Igreja Matriz e construída possivelmente em 1685, localiza na Praça Teresa Cristina, número 1 – Centro. Esta localização é adotada como ponto de partida para a numeração das demais ruas da cidade.

O marco zero atual foi inaugurado em 08 de Dezembro de 2004 nas comemorações do aniversário de 444 anos da cidade de Guarulhos, na gestão do Prefeito Elói Pietá.

Infelizmente, o marco zero é alvo de constantes depredações e atos de vandalismo, mostrando o comportamento de descaso a um dos símbolos do patrimônio histórico de Guarulhos.

No último dia 18 de Setembro, o marco zero foi retirado da frente da matriz em virtude da manutenção do pavimento do calçadão da Rua Dom Pedro iniciada no dia 17/09/2017, na retirada dos bancos quebrados, foi observado que as placas do marco zero estavam soltas e que poderiam causar algum acidente com pedestres ou mesmo serem furtadas, segundo pronunciamento da Secretaria de Obras de Guarulhos após questionamento da AAPAH via redes sociais.

Aguardemos então o retorno deste símbolo de tamanha significância para a memória de Guarulhos.

 

21-11-2017
marco zero, guarulhos, centro de guarulhos, símbolo, geografia, calçadão

Marco zero de Guarulhos, memória e significância

A marcação de locais de significância ou referência para o homem não é algo hodierno, já que não são poucos os vestígios materiais e imateriais deste hábito em diversas culturas.
08-08-2017
passeio gratuito, o que fazer em Guarulhos, Bonsucesso, história, geografia, ponto de cultura

Aula de campo – Ouro em Bonsucesso

Em relação aos temas históricos de Guarulhos, a extração de ouro é dos que mais curiosidade desperta nas pessoas, pois muitos nem imaginam a nossa cidade como um lugar com essa riqueza mineral. Para verificar os resquícios da mineração, vamos até o Bonsucesso para uma aula de campo.
10-07-2017
história, geografia, urbanismo, cecap, guarulhos, biblioteca monteiro lobato

Narrativas sobre a cidade e o espaço urbano

A produção do espaço constitui um elemento central da problemática do mundo contemporâneo, tanto do ponto de vista da realização do processo de acumulação capitalista - e, por consequência, de justificativa das ações do Estado em direção à criação dos fundamentos da reprodução - quanto do ângulo da (re)produção da vida, que se realiza em espaços-tempos delimitados reais e concretos.
23-03-2017
rio cabuçu, saneamento basico, desiguldade social, urbanismo, cidade, metropole, geografia

A urbanização e os reflexos da desigualdade no saneamento básico

A urbanização da sociedade aconteceu de forma desigual em todo mundo. Diferente dos países “centrais”, o processo de colonização nos países periféricos fez com que a urbanização brasileira ocorressem sem “planejamento”, no que tange os aspectos ambientais urbanos, como também o bem estar humano, ao ponto que as grandes cidades em decorrência a uma colonização de exploração sempre foram vistas a priori como lócus de reprodução de valores produtivos e por fim do espaço de reprodução do capital apenas.