Sediada na Avenida Monteiro Lobato, nº 690, Macedo, próxima à rodovia Presidente Dutra, a antiga fábrica de Casimiras Adamastor, atualmente um centro educacional e cultural, foi à primeira indústria de grande porte da cidade de Guarulhos. A tecelagem foi responsável por produzir, segundo alguns relatos, um dos melhores tecidos vendidos no país. Além de estar na memória da população local, seu edifício é hoje o último importante documento arquitetônico do início do processo de industrialização do município.

Inaugurada em 1946 em um terreno que outrora fora uma chácara e em seguida uma fábrica de cerâmica, funcionou no mesmo local até a década de 1980. Após sua falência, o espaço foi alugado para um atacadista do ramo de estofados e, posteriormente, para uma pista de kart. No entanto, esse último empreendimento também encerrou suas atividades e o local permaneceu vazio por um longo período.

Todavia, em 26 de dezembro de 2000, pelo decreto nº 21443/2000, as suas antigas instalações foram tombadas como patrimônio histórico. No ano seguinte, pelo decreto nº 21.226/2001, foi realizado a desapropriação do edifício pela prefeitura com a finalidade de transformar o espaço num centro educacional.

A partir de 2003, sob a responsabilidade do arquiteto Ruy Othake, iniciou-se a restauração e a reestruturação do edifício. Da antiga fábrica foi mantida a estrutura geral do prédio e, principalmente, a chaminé de tijolos alta e imponente, que com seus 50 metros de altura é o símbolo do conjunto arquitetônico. Todo o projeto para transformá-lo no centro educacional foi pensado de uma forma que não descaracterizasse o imóvel e, consequentemente, alterasse a imagem histórica e afetiva guardada entre os habitantes de Guarulhos.

Adamastor, Centro Cultural, Chaminé, Guarulhos, Patrimônio Tombado

Ao fundo vemos a chaminé da Antiga Fábrica de Casimiras. Ano: 2015. Acervo: AAPAH/Bruno Leite de Carvalho.

Além da restauração dos quase oito mil metros quadrados do pavilhão, foi construído um prédio novo vizinho ao antigo, destinado a sediar os gabinetes das secretarias de cultura e de educação. Com suas fachadas envidraçadas e de formato elíptico, o novo edifício tem uma linguagem contemporânea.

Enquanto o edifício antigo posiciona-se paralelamente à rua, o novo situa-se no sentido perpendicular. Todas essas características do prédio novo foram planejadas pelo arquiteto com o objetivo de estabelecer um contraponto com o antigo pavilhão, num diálogo que o próprio Othake chama de “convergência entre o antigo e o contemporâneo”.

Foi realizada ainda, na outra extremidade e acoplada ao edifício original, a construção de uma parte nova a fim de abrigar um teatro. Essa intervenção na antiga estrutura é demarcada pela pintura preta em sua caixa externa.

Hoje o Centro Municipal de Educação Adamastor abriga, além do teatro, uma biblioteca, um cineclube, quatro salas de aula, um pátio para eventos, três auditórios, um espaço para exposições e uma sala de memórias. Além de receber diversas palestras, exposições e apresentações artísticas para o público em geral, promove diversos cursos e oficinas visando o aprimoramento dos educadores da rede municipal de ensino. Tornou-se, portanto, não apenas um patrimônio histórico, mas também uma referência cultural e educacional da cidade de Guarulhos.

27-10-2016
Adamastor, Centro Cultural, Chaminé, Guarulhos, Patrimônio Tombado

Adamastor: de fábrica de casimiras se transformou em centro cultural

Sediada na Avenida Monteiro Lobato, nº 690, Macedo, próxima à rodovia Presidente Dutra, a antiga fábrica de Casimiras Adamastor, atualmente um centro educacional e cultural, foi à primeira indústria de grande porte da cidade de Guarulhos. A tecelagem foi responsável por produzir, segundo alguns relatos, um dos melhores tecidos vendidos no país. Além de estar na memória da população local, seu edifício é hoje o último importante documento arquitetônico do início do processo de industrialização do município.
24-10-2016
Anjo Gabriel, Monumento, Estátua, Praça IV Centenário, Guarulhos

Monumento do Anjo Gabriel simboliza paz e desafios para o novo milênio

Feito pelo artista plástico Cesar Enoque de Souza (Salvador, 31/12/1965), o monumento do Anjo Gabriel localizado na Praça IV Centenário, entrada de Guarulhos, foi inaugurado no dia 03 de setembro de 2000, doado pelo Colégio Progresso Centro, hoje Nahim Ahmad. Carregado de símbolos, o monumento de aproximadamente cinco metros de altura transmite uma mensagem de esperança pela paz e desafios para o novo milênio.
24-10-2016
Mirante do Nhangussu, Ponto Turístico, Guarulhos, O que Fazer em Guarulhos

Conhecendo a região do Água Azul

Natureza Com ônibus lotado, a última caminhada histórica, promovida pela Associação de Amigos do Patrimônio e Arquivo Histórico – AAPAH, foi mais um grande sucesso de […]
05-10-2016

Guarulhos e seus bens patrimonializados: Casarão José Maurício

A cidade de Guarulhos abriu o século XXI com a aprovação do Decreto n.º 21.143/2000 que possibilitou o tombamento de um conjunto de bens considerados de valor histórico para a cidade. A trajetória das medias publicas em relação à proteção do patrimônio da cidade remontam desde a década de 70, e o Decreto n.º 21.143/2000 aparece como importante passo dado em direção a salvaguarda dos bens, mesmo com muito ainda a se caminhar. Pois apesar do Decreto citado garantir a proteção não havia uma lei em 2000 que regularizasse substancialmente o funcionamento do Conselho de Patrimônio da cidade (COMPHAACG). Somente em 2009 com a aprovação da Lei n. 6.573/09 garante ao conselho as atribuições de órgão consultivo e deliberativo.