Mobilidade

Nos últimos anos as ciclovias vêm ganhando força na região Metropolitana de São Paulo, o número de ciclistas cresce a cada dia, é visível nas ruas do centro às periferias. Muitos usam a bicicleta para lazer, como meio de locomoção para chegar ao trabalho ou para a prática esportiva.

A cidade de São Paulo ganhou muitas ciclovias no governo do Fernando Haddad, a iniciativa gerou muitas críticas, pois seus oposicionistas diziam que não houve o planejamento adequado. Na cidade de Santo André foi construída ciclovia para ligar alguns bairros com a estação de trem, a bicicleta vira uma opção econômica e sustentável de transporte, já que na estação da CPTM tem local para guardar as bikes.

Em Guarulhos, temos uma ciclovia no CECAP e ciclofaixa dominical na avenida Paulo Faccini, mas não há um plano para aumentar o número de vias seguras para ciclistas. Nas ruas ainda existe a falta de respeito, alguns motoristas desconhecem o artigo 58 do Código de Trânsito Brasileiro, que diz “nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores”.

Há bons exemplos práticos, as bicicletas convivem bem no trânsito confuso e cheio de buzinas de Buenos Aires, no bairro de Once (zona de comércio popular muito parecido com o Brás), há via para ciclistas em frente às lojas. Na avenida Brigadeiro Faria Lima já há congestionamentos de ciclistas, basta passar por lá para ver. Em Santo André, a ciclovia te leva para o Estádio Municipal, estação de trem, parques e comércios.

Quando se projetou o corredor de ônibus, que liga o bairro do Taboão á Vila Galvão pelo anel viário, se falou em construir uma ciclovia pelo percurso, algo que seria interessante, já que circulam um grande número de ciclistas pela via mesmo sem muita segurança e respeito dos motoristas.

A ideia de ciclovia pelo anel viário seria importante para chegar a locais como o Adamastor, o Poupatempo, comércios e universidades. Também seria uma opção de ligação de transporte com os ônibus.

Pensar em desenvolvimento urbano é dialogar com os vários personagens de uma cidade, é repensar a locomoção com segurança, meios de transporte sustentáveis e segurança no trânsito. Por enquanto, ainda não temos a cidade ideal, mas devemos respeitar as leis existentes. Motoristas, quando houver ciclistas na via, respeite um metro e meio de distância lateral e não adianta buzinar, a via também foi feita para a bicicleta e a lei está no código de trânsito.

16-02-2017
ciclovia, santo andre, bicicleta, abc, mobilidade

Precisamos pensar em ciclovias em Guarulhos

Nos últimos anos as ciclovias vêm ganhando força na região Metropolitana de São Paulo, o número de ciclistas cresce a cada dia, é visível nas ruas do centro às periferias. Muitos usam a bicicleta para lazer, como meio de locomoção para chegar ao trabalho ou para a prática esportiva.
02-02-2017
Flamengo de Guarulhos, Futebol, Campeonato Paulista, Artigo, História

A fundação da AA Flamengo: o começo de tudo

Entre os anos de 1952 e 1953 a partir de um time formado por garotos do Jardim Tranquilidade, que praticamente ficavam o dia todo jogando futebol num pequeno campo por eles adaptado na antiga Rua Batuíra, atual Cabo Antônio Pereira da Silva, no número 307. Esse grupo de garotos era liderado pelo Luiz Carlos, mais conhecido por Borrachinha e José Luiz de Oliveira mais conhecido por Positivo, muito querido por todos, o principal fundador do time reunia em sua casa, com o consentimento de seus pais, toda a garotada para tratarem coisas relacionadas ao time. Muitas reuniões foram feitas no transcorrer dos tempos.
26-01-2017

Casa José Maurício: Uma História

Situado na Rua Sete de Setembro, nº 150, esquina com a Rua Felício Marcondes, centro de Guarulhos de propriedade particular da família de José Mauricio de Oliveira Sobrinho (prefeito em Guarulhos de 1919 a 1930 e 1940 a 1945), e seus sucessores.
20-01-2017
Casa da Candinha, Patrimônio de Guarulhos, Negros, Escravidão, Ouro

Sítio da Candinha e o ouro

A casa grande da Fazenda Bananal, ao que as pesquisas atuais indicam, tem sua história ligada à questão da extração de ouro. Em documentos e relatos populares, há evidências de relação entre a mineração aurífera e a mão de obra escrava.