Bruno Leite de Carvalho

Patrimônio histórico guarulhense

A AAPAH surgiu em 2009, quando se iniciou todo o processo de abertura de CNPJ e todas as outras documentações, já tínhamos foco em alguns patrimônios que estavam abandonados na época, porém a discussão sobre o patrimônio cultural e o abandono não começou naquele ano. Já apontávamos os riscos, a falta de seriedade na fiscalização dos prédios tombados. Depois de anos de discussões e apontamentos, todo o problema veio à tona em uma semana.

Em 06/11/2015, membros do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico recebem a denúncia de uma demolição no entorno histórico de Bonsucesso. Quando os conselheiros abordaram o proprietário sobre a demolição irregular, foi apresentado o alvará expedido pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano. O órgão governamental não respeitou o rito, pois a solicitação de qualquer alteração em região aonde há bens tombados deve ser apresentado ao Conselho.

O proprietário, que se diga por passagem não é um leigo, declarou que aceita recomendações para fachada da nova construção, também disse ser um amante da história. Assim, deveria ter solicitado as recomendações antes de levar ao chão mais um patrimônio cultural.

Quando os amigos do patrimônio achavam que já tinham muitos problemas para apenas uma semana. No dia 11/11/2015, os sites de notícias de Guarulhos publicavam sobre o óbito do morador de rua chamado José Domingos dos Santos, morto aos 50 anos de idade. O corpo foi encontrado dentro do Casarão do ex-prefeito José Maurício.

O casarão sempre esteve no rol de cobranças que a AAPAH faz para a prefeitura, já foi organizada manifestação na rua, solicitamos urgência com a manutenção em Conferência Municipal. Nas reuniões do Conselho de Patrimônio alertamos para o perigo de incêndio, pois já encontramos marcas de fogueiras no interior da casa. Mas, para confirmar todas as nossas preocupações, aconteceu o pior, a morte de uma pessoa.

O acontecimento confirma o abandono total da casa, a falta de zelo do governo municipal com o patrimônio histórico.

bonsucesso - Guarulhos, patrimônio histórico, história de Guarulhos

Imóveis demolidos no bairro de Bonsucesso, entorno da região histórica. Fonte: Google Maps.

Os dois fatos se cruzam com a declaração dada pelo prefeito Sebastião Almeida, o governante afirmou na reportagem do Guarulhos Web em 12/11/2015, que não se sabe quando o Casarão da rua Sete de Setembro será restaurado e diz que um projeto está sendo trabalhado. Porém, o projeto está pronto, há um processo iniciado para começar a licitação para o restauro. Fica a dúvida se o político desconhece o que se passa em suas secretarias ou todo esse projeto não passa de uma estratégia para acalmar os grupos que lutam em prol dos bens históricos. A resposta virá na próxima audiência orçamentária da Secretaria de Educação para o ano de 2016 (até 06/02/2016, o restauro continua sem data para começar).

A semana que escancarou o descaso com a história de Guarulhos deixa uma lição para toda a sociedade guarulhense. A causa de conservação do patrimônio cultural envolve segurança, turismo, bem estar social, respeito ao ser humano, cidadania. O governo municipal, que não se diferencia tanto para o bem, quanto para o mal da política praticada no Brasil, perdeu a oportunidade de fazer sua obrigação de cumprir com a lei para se despachar um alvará e teimou em não colocar a guarda civil para evitar que uma morte acontecesse dentro de uma casa tombada.

06-02-2016
bonsucesso - Guarulhos, patrimônio histórico, história de Guarulhos

Demolição e abandono expõem os problemas do patrimônio histórico guarulhense

A AAPAH surgiu em 2009, quando se iniciou todo o processo de abertura de CNPJ e todas as outras documentações, já tínhamos foco em alguns patrimônios que estavam abandonados na época, porém a discussão sobre o patrimônio cultural e o abandono não começou naquele ano. Já apontávamos os riscos, a falta de seriedade na fiscalização dos prédios tombados. Depois de anos de discussões e apontamentos, todo o problema veio à tona em uma semana.
04-01-2016

Tradição do Mastro de Bonsucesso foi resgatada após consulta a antigos festeiros

O mastro da Festa de Bonsucesso ficou sem ser erguido por muitos anos. Em 2009, os pesquisadores da ONG Abacaí questionaram os moradores locais para saber se a festa antigamente não tinha o tal símbolo presente em várias festas populares em todo o Brasil.
29-12-2015

Capela de Bom Jesus resiste às transformações do tempo

por Bruno Leite de Carvalho[i] A Capela de Bom Jesus, escondida pelos prédios, propagandas, ponto de ônibus e uma banca de jornal, fica na avenida Monteiro […]
28-12-2015

Catifunda e Grande Otelo acharam dólares no lixão da Vila Galvão

Em 1970, a Vila Galvão foi cenário para algumas cenas do filme “Se Meu Dólar Falasse”. A trama conta a história da Bisisica (Dercy Gonçalves), dona de um salão de beleza, que é encarregada de comprar uma estatueta de 15 mil dólares, porém a peça era oca com cocaína dentro. O dinheiro era da madame Veruska (Zélia Hoffman). Os dólares, por descuido, foram parar no lixão.