Artigos

10-08-2017

A rua 3 do Jardim Novo Ipanema e seus modos de identificação

Quando os lotes eram divididos para se vender, as ruas eram batizadas por números para identificação de cada logradouros, com a chegada dos primeiros moradores, para recebimento de correspondência se torna necessário uma denominação mais precisa como o nome de alguém que teve representatividade na região. O batismo do logradouro é decidido por decreto ou por imposição dos próprios moradores do local.
03-08-2017
cecap, horta, escola, centro comunitário, história

Infância e educação no Cecap

Trataremos no artigo de hoje uma parte das reminiscências da infância e da educação no Parque Cecap, destacando o Clube de Mães, antiga creche do bairro.
27-07-2017
Bandeira de guarulhos, significado, cores, motivos, lei

A bandeira de Guarulhos e seus significados

Arcinoé Antonio Peixoto Faria, heraldista e professor, é o autor da bandeira do município de Guarulhos, instituída como um dos três símbolos da cidade apresenta as seguintes características:“Esquartejada em cruz, sendo os quartéis de azul constituídos por quatro faixas brancas carregadas sobre faixas vermelhas, dispostas duas a duas no sentido horizontal e vertical e que partem do vértice de um losango branco-central, onde o brasão municipal é aplicado”.
20-07-2017

A Praça Mamonas Assassinas é uma Difusora de Memórias

Dinho (vocalista), Samuel (baixista), Bento (guitarrista) e Sérgio (baterista) iniciaram a carreira em 1990 com a banda Utopia, na qual Júlio (futuro tecladista dos Mamonas) atuava como Roadie. A Praça foi palco de muitas apresentações e o local no qual começaram a vender os seus primeiros discos. Alcançaram um sucesso imensurável no ano de 1995, quando, já com a banda Mamonas Assassinas, chegaram aos esplendorosos 2 milhões de cópias vendidas no começo de 1996. O acidente não impossibilitou que esses ilustres guarulhenses permanecessem vivos e continuassem a passar a sua energia através das memórias.
10-07-2017
cidadania, cidadania, patrimônio cultural, urbanismo, casa josé maurício, Guarulhos

O patrimônio, a cidade e a cidadania

Somos parte de uma das cidades mais antigas do país e muito pouco da sua história sabemos, não acredito que seja apenas por falha na educação escolar tradicional, que ao meu ver nunca daria conta de sozinha construir em nós o espírito de cidadania e zelo para com os patrimônios públicos, culturais, ambientais, históricos e tudo que está inserido dentro do que reconhecemos como cidade.
29-06-2017
Fogaréu de Guarulhos, patrimônio imaterial, cultura popular, Guarulhos, Bosco Maciel, profano, reliogioso

Processo de Registro de Patrimônio Imaterial – Parte II

Após o envio do Pedido de registro do bem imaterial ao órgão competente, direcionado ao seu presidente, este em seguida direciona os autos do processo do Pedido de Registro ao Conselho – Deliberativo ou Consultivo - para um Parecer acerca da viabilidade e conveniência do pedido ou seu Arquivamento.
22-06-2017

Salas de Milagres: símbolos da fé popular

Como dito no livro “Identidade urbana e globalização: a formação dos múltiplos territórios em Guarulhos”, os bairros do Cabuçu e Bonsucesso impuseram uma importante identidade para os guarulhenses, a história desses locais é marcada pela peregrinação da fé popular baseada no boca a boca dos milagres alcançados que passam da ancestralidade ao novos devotos.
08-06-2017
fundação do sanatório padre bento, lepra, hanseniase, doença, saúde, internação compulsória, tratamento da lepra

Sanatório Padre Bento e suas características

Sanatório São Paulo é inaugurado como uma instituição para tratamento de doentes mentais. E logo em seguida, em 5 de junho de 1931, é adquirido pelo Estado e transformado no Sanatório do Padre Bento (SPB), para internação compulsória e tratamento de leprosos, contando naquela data com 83 pacientes.
02-06-2017
Mapa de Guarulhos, 1938, Geografia, história

Urbanização em Guarulhos: Plano Diretor em Pauta

Um dos paradigmas do urbanismo dos séculos XIX e XX é a metáfora cunhada por Sergio Buarque de Holanda ao tratar do processo de colonização espanhola e portuguesa: o semeador e o ladrilhador. A partir dos olhares sobre a cidade colonial, um dos expoentes da nossa literatura, instituiu uma interpretação sobre a América Latina. Em contraponto a desordem e ao desleixo dos aventureiros portugueses, havia o trabalho sistemático dos ladrilhadores espanhóis. Isto poderia ser facilmente observado ao compararmos os centros antigos do Rio de Janeiro e de Lima, no Peru, por exemplo.
25-05-2017

As águas do centro de Guarulhos: sobre o concreto e o asfalto

Os grandes centros urbanos criam-se, recriam-se e “operam” sobre um substrato que outrora fora completamente natural. Os espaços que em um momento anterior pertenciam á natureza, hoje dá lugar aos objetos e construções do homem.

Artigos

Gmedia Galleries

Layouts

Portfolio

Slides