O cinema dos hansenianos na internação compulsória

Lago dos Patos. Ano: 1937. Acervo: Arquivo Histórico de Guarulhos.
Vila Galvão, bairro de várias vocações
15-04-2016
Eugenio Asano, poeta de guarulhos, morte, literatura, Gerundio
Homenagem ao escritor Eugênio Asano
22-04-2016

O cinema dos hansenianos na internação compulsória

Rua Francisco Foot -Teatro Padre Bento, em 2013. O prédio sofreu poucas alterações. Acervo: AAPAH/Marcelle Marques de Andrade

História de Guarulhos

O termo patrimônio cultural abrange vários valores como o histórico, comunitário, artístico, ambiental, entre outros mais. O Teatro Padre Bento, por exemplo, traz um conjunto de qualidades que nos obriga a racionalizar para a conservação deste espaço tombado em nível municipal e estadual.

O prédio foi o primeiro cinema de Guarulhos e também serviu de salão de festa para os hansenianos, durante as décadas da internação compulsória decretada para os doentes com o Mal de Hansen. O Complexo Padre Bento era uma mini cidade com administração própria pela caixa beneficente mantida pelos próprios internos. O complexo também contava com campo de futebol, piscinas e escola. A estrutura era mantida para isolar os enfermos do resto da sociedade.

Teatro Padre Beneto, Guarulhos, Gopouva, História de Guarulhos, lepra, hanseniase

Teatro Padre Bento, em 1934. A rua era de terra e não havia grades. Acervo: Arquivo Histórico de Guarulhos.

Após o fim da internação compulsória na década de 1960, o espaço do antigo sanatório começou a ser utilizado pela população. Porém, o cinema ficou abandonado por vários anos, mas em 2007 o prédio foi restaurado pela Prefeitura de Guarulhos e reaberto como teatro.

Teatro Padre Beneto, Guarulhos, Gopouva, História de Guarulhos, lepra, hanseniase

Rua Francisco Foot -Teatro Padre Bento, em 2013. O prédio sofreu poucas alterações. Acervo: AAPAH/Marcelle Marques de Andrade

Atualmente, o Teatro Padre Bento está fechado para as atividades artísticas. Um patrimônio cultural depende da utilização para ser conservado. Um teatro sem artistas e sem público é apenas mais um prédio. Assim, a população fica carente de opções de lazer e restringida ao direito de ocupar uns dos seus patrimônios históricos.

Bruno Leite de Carvalho
Bruno Leite de Carvalho
Jornalista, responsável pela assessoria de comunicação da AAPAH, coautor dos livros “Guia Histórico Cultural de Logradouros – Lugares e Memórias de Guarulhos” e “Signos e Significados em Guarulhos: Identidade – Urbanização – Exclusão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.