Tradição do Mastro de Bonsucesso foi resgatada após consulta a antigos festeiros

seminário AAPAH, palestra, turismo, patrimônio cultural
IV Seminário da AAPAH trouxe palestras sobre inovações e estatísticas
04-01-2016
A ferrovia e o Município de Guarulhos
11-01-2016

Tradição do Mastro de Bonsucesso foi resgatada após consulta a antigos festeiros

Patrimônio Imaterial

O mastro da Festa de Bonsucesso ficou sem ser erguido por muitos anos. Em 2009, os pesquisadores da ONG Abacaí questionaram os moradores locais para saber se a festa antigamente não tinha o tal símbolo presente em várias festas populares em todo o Brasil.

Foi então que representantes da comunidade foram consultar antigos moradores que revelaram que há muitos anos atrás era levantado um mastro em homenagem a Nossa Senhora de Bonsucesso no começo das festividades. Assim, foi resgatada a tradição.

A comunidade foi pesquisar como deveria ser feito o símbolo, assim com a liderança do Sr. Antônio, em 2009, voltou-se a se fazer a derrubada da árvore de eucalipto de doze metros, essa espécie é escolhida, pois renasce com facilidade. Assim, o tronco é descascado e alisado com devoção.

Na noite das artes, que é o último sábado antes da Festa da Carpição, o mastro da padroeira de Bonsucesso é apresentado para a comunidade, o padre faz a benção com o tronco ainda deitado, os fiéis colocam lenços coloridos ou escrevem na própria madeira para agradecer ou pedir as mais diversas graças.

Na primeira segunda-feira de agosto, quando acontece a Festa da Carpição, a procissão carrega o mastro do salão paroquial até a frente da Catedral de Bonsucesso, onde colocam a bandeira, içam e erguem para ficar no local até o dia dezesseis de julho do ano seguinte, que é o dia do aniversário da paróquia. Segundo a crença, as preces colocadas no mastro chegam mais rápida ao céu.

[huge_it_gallery id=”11″]

Após a retirada, a madeira é cortada em onze partes, cada pedaço vai para uma comunidade pertencente à paróquia. Esses pedaços de eucalipto são colados em fogo santo e servem para o Círio Pascal.

Todo o trabalho de preparação é feito pelos capitães do mastro Sr Antônio e Dona Cida, devotos de Nossa Senhora de Bonsucesso.

Como em toda festa popular, as festividades em Louvor a Nossa Senhora de Bonsucesso sofrem alterações dos seus ritos e costumes. A bandeira do mastro sofreu uma mudança nesta festa de 2015, o atual padre solicitou a retirada de São Benedito e da Imaculada Conceição, restando apenas a padroeira da festa.

A festa da Carpição e Nossa Senhora de Bonsucesso completou 274 anos, em 2015. Como todo patrimônio imaterial é uma atividade viva com inúmeras mutações durante seus anos de existência, porém é importante se respeitar suas tradições para que não se perca a sua essência. O mastro é exemplo de um costume perdido com o tempo, porém o trabalho de pesquisa e a consulta a antigos festeiros resgataram um símbolo importante da cultura popular.

Bruno Leite de Carvalho
Bruno Leite de Carvalho
Jornalista, responsável pela assessoria de comunicação da AAPAH, coautor dos livros “Guia Histórico Cultural de Logradouros – Lugares e Memórias de Guarulhos” e “Signos e Significados em Guarulhos: Identidade – Urbanização – Exclusão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.