Lugares e Memórias

Guarulhos 454 anos: momento de reflexão
29-07-2015
A Barragem Cabuçu, a primeira obra de concreto armado no Brasil
30-07-2015

Poesia

Alguns historiadores buscam referências de costumes de determinada época em livros de literatura, em versos de poesia, em quadros artísticos, músicas. As artes trazem referências de costumes e são carregadas de informações do seu tempo.

Abaixo segue a poesia que abre o livro “Lugares e Memórias de Guarulhos”, a cada verso são citados endereços de Guarulhos, o poeta faz referência aos nomes e informações de alguns logradouros.

 

Lugares e Memórias

O doutor Timóteo vive penteado ligando Vila Galvão ao centro

Com um trânsito caótico e barulhento.

O doutor Emílio Ribas passa em frente ao hospital e não cura

Ninguém.

 

As mulheres dominam as alamedas,

A mulher de verdade não precisa de luxo e riqueza.

Só quer ser útil. A Yayá sempre prestativa, dando

passagem para os ônibus e aos sábados faz a feira.

Avenida Timóteo Penteado, sem data. Acervo: Arquivo Histórico de Guarulhos.

Avenida Timóteo Penteado, sem data. Acervo: Arquivo Histórico de Guarulhos.

A Paz, a Justiça e a Verdade ficam lado a lado.

A abolição cruza com a independência.

A alegria fica próximo ao Tibet, junto ao deus do sol.

 

As flores descansam no Jardim Bebedouro.

A Argentina, a Brasileira, a Espanhola, a Italiana , a Mexicana

A Portuguesa,

Fazem a festa da miscigenação.

 

Lugares ficam na memória e trazem histórias que podemos contar

Lembrar de quando os bois pediam passagem, o trem apitava avisando

A hora da viagem,a jardineira atolava no caminho,

A praça Getúlio Vargas tinha pelada aos domingos, os piqueniques no lago…

 

Saudade de um tempo que não volta,

O passado que prende e solta o futuro.

Que me preocupa e que me dá esperança,

Com um nó na garganta me despeço.

E luto para que o progresso não destrua a minha memória, que

faz parte da história que ajudei a construir.

 

Poesia publicada originalmente no livro “Lugares e Memórias de Guarulhos” e no Semanário Ótimo:

Diogo Leite de Carvalho
Diogo Leite de Carvalho
É poeta autor dos livros Gritos poéticos e Poesias Cotidianas,estudante de história. cofundador da AAPAH.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.